Jogos Abertos do Ipojuca têm dia de finais e homenagem

19/06/2016
Jogos Abertos do Ipojuca têm dia de finais e homenagem

Tamíz Freitas / Fedepe


Das doze modalidades presentes nos Jogos Abertos do Ipojuca 2016, nove já conhecem os seus campeões. No último sábado (18), o vôlei de quadra e o basquete 3x3 levaram ao pódio os melhores times, na Quadra Poliesportiva Adnilson José de Santana, em Ipojuca centro. Pelo vôlei, os Galáticos venceram a equipe do Dínamo, conquistando o ouro. Mas antes, foi feita uma homenagem ao atleta que dá nome à quadra, o conhecido Nilson, que coincidentemente faria 48 anos no dia. Da mão do secretário de Juventude e Esportes, Miqueias Silva, os amigos de Nilson receberam um troféu pelo o que ele representava para o esporte no Ipojuca. No basquete, cinco categorias apresentaram ao público seus vencedores.

Kaylane da Silva, 10, cestinha da final do Misto sub-12 entre Lula Molusco e Bob Esponja, começou a praticar o basquete neste ano e já começou a colher frutos, com o primeiro título conquistado no esporte. “A gente treina toda semana e o professor nos ajuda incessantemente. Sempre ficávamos com o segundo lugar, mas dessa vez conquistamos o primeiro porque merecemos”, falou com propriedade a garota. Na mesma categoria, Bob Esponja ficou com a prata e Dory, com o bronze.

Ainda no basquete 3x3, a maioria das partidas teve que recorrer ao tempo adicional para o desempate, tornando a manhã de disputas mais emocionante. No sub-14, o pódio foi formado por Peixe Martelo (1º), Nero (2º) e Patrick (3º). Além do campeão Lagosta, no sub-17, os outros colocados foram Baleia (2º) e Tubarão (3º). No feminino sub-15, Água viva conquistou a prata e, da mesma forma que a campeã Estrela-do-mar, esteve no hall dos campeões. E, na categoria adulta masculina, Cleveland (1º), Tapioca (2º) e Camela (3º) também fizeram bonito nessa edição dos Jogos. Juliano Cristiano é o treinador da maioria dos atletas, exceto os adultos, e se mostrou satisfeito com a força que o basquete tem conquistado na cidade. “As meninas, por exemplo, têm mais resistência para se integrarem, mas neste ano a participação foi muito mais ativa e isso é ótimo para a popularização do esporte”, completou.

Encerrando a tarde do sábado (18), teve figurinha repetida no pódio do vôlei, provando que quem sabe o fundamento não tem muita dificuldade na transição das quadras para as areias e vice-versa. Entre os campeões, Devidy William, que já havia sido campeão nesta edição dos Jogos pelo vôlei de praia. Já pela manhã, enquanto circulava nas dependências da quadra, Devidy já mostrava confiança. “Mais tarde, vamos ganhar esse troféu e mostrar que somos os reis do voleibol de Ipojuca”, disse. E, mesmo que não tenham o título de “reis”, os Galáticos venceram o Dínamo de forma avassaladora. O terceiro lugar foi para a equipe dos Camaleões. Além dos ataques, defesas e bloqueios, um dos pontos altos foi a homenagem ao Nilson, falecido há cinco anos e amigo de muitos dos presentes. “Lembro que quando assumi a pasta, ele foi o primeiro atleta que recebi na Sejuve, o que mostra o quanto era interessado pelo voleibol”, lembrou.

Outras notícias